Trovas do Atanásio

Publicado por em .

(Tadeu Martins)
Quando Santiago assopra
A manhãzinha nas brasas,
Cerração abre as cortinas
A luz abençoa as casas,
E os galos da vizinhança
Tocam milonga nas asas.

Aragem de Jaguari
Vem com perfume de uva,
Traz uns ares de saudade
Dos lados da Timbaúva,
E a terra cura as feridas
Com alguns pingos de chuva.

E tudo ao redor se alegra
Quando o sol dá um sorriso,
Convite a tomar uns mates
Na sombra de um paraíso,
Com assuntos de São Chico
Que é a lembrança que preciso.

Ar de reza missioneiro
Nuvens brancas de grinalda,
Cheiro de campo nativo
Vento morno de Unistalda,
Quem tem panorama desses
Quem é que não pega balda?