Trovas do Atanásio

Publicado por em .

(Tadeu Martins)
Hoje eu trovo meio esdrúxulo
Na minha trovinha histérica,
De tanta coisa que escuto
Talvez notícia genérica,
Da língua de um celular
Que se torna estratosférica.

A notícia corre tanto
Que até vence um taquígrafo,
E se esconde anonimata
Mesmo sendo de um calígrafo,
Tanta sujeira virtual
Daria um belo polígrafo.

É muita notícia fria
Causa inveja a um frigorífico,
Na TV escorre sangue
De trágico magnífico,
Que a nossa era caótica
Merece estudo científico.

Digo que a Escola do Bem
A todo e qualquer terrícola,
Bom senso é o grande doutor
Dando remédio em gotícula,
Aviso aos interessados
Que está aberta a matrícula.