Trovas do Atanásio

Publicado por em .

(Tadeu Martins)
Brasedo ficou de ontem
Hoje o calor continua,
O arzinho da manhã
Espalha brasa na rua,
E até o sereno ferve
Me queima um pingo de lua.

E fica a noite mentindo
Que vai esfriar a casa,
Manda seu ventinho quente
Mal e mal batendo asa,
E quando recebe o sol
Assopra a cinza da brasa.

E chega a língua do sol
Para ferver a chaleira,
No esconderijo da sombra
O mate nos dá bobeira,
E o céu manda uma nuvem
Tapar o sol com peneira.

É a crise torrando tudo
Não é culpa do verão,
Esquenta os nervos do mundo
O Trump mais que brigão,
Cumpre-se o velho ditado
– É o ano do calorão.-