Uma noite para não esquecer

Publicado por em .

Reprodução.

(Arlete Gudolle)
Num mundo tão conturbado, o que empresta brandura às ações humanas é a gentileza, a generosidade e, acima de tudo, a educação de crianças e jovens, centrada no amor e no despertar para a beleza da palavra poética. Se o professor entender que a docência deve pautar-se no ensinar pelo exemplo, pela descoberta de valores que dignifiquem e elevem o ato de aprender a outro patamar, de imediato, granjeará o afeto e a colaboração irrestrita de alunos, pais e corpo diretivo da escola onde atuam. O colocar-se no lugar do outro se manifesta e se reproduz em atos de aceitação e crescimento. Foi isso e muito mais que vivenciei na Escola da URI, no Sarau Poético, organizado pela talentosa professora e poeta Erilaine Peres.

Nesse lindo evento, alunos da 8ª série, valendo-se da dramatização de textos poéticos de Ronaldo Gomes, Fortunato Oliveira, Tadeu Martins, Arlindo Disconzi e meus, valorizaram nossos escritos. Na voz e no gestual dos adolescentes, poemas e crônicas de nossa autoria ganharam maior beleza, fazendo com que fôssemos tomados por intensa emoção. Os pais, embevecidos por assistirem à concretização de seus esforços por a URI estar oferecendo educação de qualidade aos filhos, provavelmente, com os olhos aflorando lágrimas de emoção e com o coração saltitante de alegria, devem ter dado a mais gostosa louvação que o amor pode manifestar: o orgulho de terem gerado frutos bons e talentosos. Erilaine e alunos, agradeço-lhes a lindíssima homenagem e as belas flores que me presentearam.