Arrecadação de ICMS bate recorde

Estado – A maior fonte do Estado cresceu 4,1% em 2017 e ultrapassa 3 bilhões no primeiro mês de 2018. O valor recolhido é dividido entre o Estado (75%) e municípios (25%).
O resultado vem de um conjunto de fatores: Depois de dois anos em queda, o Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todas as riquezas produzidas no país – cresceu 1% em 2017. Mesmo lenta, a retomada da economia se refletiu no ICMS, assim como o salto no preço dos combustíveis.
Também tem a fiscalização e cobrança da Receita Estadual, que em 2017 recebeu o reforço de 90 novos auditores que apertaram na moleira dos sonegadores.