As prioridades de Sartori e Eduardo Leite

As prioridades de Sartori e Eduardo Leite

A pedido do Grupo RBS, os dois candidatos ao governo destacaram três objetivos de seus primeiros 100 dias de gestão. Dois temas predominantes estarão no foco da nova gestão: ações para reforçar a segurança e a adesão do Estado ao regime de recuperação fiscal, que, se concretizada, garantirá a suspensão do pagamento da dívida federal por pelo menos três anos e abrirá margem a novos financiamentos.

Planos prioritários de Eduardo Leite
Segurança Pública – O programa de governo de Leite propõe a criação de um novo sistema de registro de ocorrências e a ampliação de delegacia online para melhorar e agilizar os serviços. Também prevê a adoção do sistema “cidades inteligentes” (monitoradas virtualmente), do uso de bloqueadores de celular e detectores de metal nos presídios.

Recuperação Fiscal – Leite defendeu a adesão ao regime de recuperação, mas fez a seguinte ressalva: o acordo deve ser assinado entre o novo governador e o novo presidente, com a alteração de alguns termos contratuais. Entre eles, estão a ampliação do prazo do contrato (que hoje é de até seis anos) e a revisão das restrições à nomeação de novos servidores, em especial daqueles ligados à segurança pública.

Privatizações – O candidato defendeu a venda de CEEE, CRM e Sulgás e disse que o PSDB votou contra a consulta em outubro por dois motivos: isso nunca havia ocorrido junto a eleições e o governo queria reduzir o prazo do debate. Dependendo da posição da Assembleia, pode pedir a dispensa do plebiscito ou a convocação. Diz que o dinheiro da venda não será usado em custeio e que os servidores serão chamados a conversar.

Planos prioritários de Sartori
Regime de Recuperação Fiscal – A principal proposta de Sartori é a adesão ao programa de ajuste do governo federal. Ele se comprometeu a dar continuidade às negociações para garantir que 11 bilhões (obtidos com a suspensão da dívida por três anos) sejam aplicados no Estado, em áreas vitais. Ao contrário de Leite, Sartori defende a manutenção da atual proposta para evitar retrocesso nas tratativas.

Segurança pública – Sartori destacou a realização de concurso público com seis mil aprovados e a intenção de dar continuidade à recomposição gradativa do efetivo para reforçar o combate à criminalidade. Também propõe a “ampliação do cercamento eletrônico estadual, através de câmeras públicas e privadas, com a utilização de software inteligente de identificação facial e análise de risco.”

Geração de empregos – No programa de governo, além da revisão da lei de 2009 que estabelece medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica, Sartori propõe a atualização de decretos que regulamentam programas relacionados a parques e polos tecnológicos, arranjos produtivos locais e incubadoras de negócios. Outro ponto sugerido é inserir o empreendedorismo nos currículos escolares desde o ensino básico.