Atentado em Jaguari: salvos por um milagre

Publicado por em .

Marido encontra ela com outro e atira nos dois
Jaguari – Na madrugada de domingo, 4, houve uma tentativa de feminicídio e outra de homicídio motivado por uma suposta traição. O fato aconteceu em Bom Respiro, interior. Conforme a ocorrência, Ronairo Gigorski (33 anos) flagrou a esposa Simone Bolzan (29 anos) no carro de Marcelo Dias Minuzzi (30 anos) numa estrada perto da residência do casal. Ele atira nos dois que, mesmo baleados (ela no peito e ele na cabeça), conseguem fugir e pedir ajuda. Foram socorridos e levados ao hospital de Jaguari e, posteriormente, para Santa Maria. Já deram alta e estão fora de perigo.

Momento do flagra
No momento em que Ronairo encontra os dois no carro, teria pedido que descessem. Só ela desce. O agressor então dispara de espingarda. O tiro acerta o peito da esposa e sai nas costas, atingindo Marcelo na cabeça, de raspão. Os dois, mesmo baleados, saem em busca de ajuda. Ela a pé, ele de carro, mas acaba batendo num barranco. Ronairo, então, torna a agredi-lo a pedradas com participação do sogro, que armado de facão, acerta sua mão e a cabeça causando-lhe ferimentos. Marcelo consegue fugir. Ele contou que correu descalso por 2km e encontra socorro numa casa.

Como tudo iniciou
Tudo teria começado na noite de domingo. Eram 22h40min quando Ronairo vai dormir. Simone fica pela casa, “fuçando” no celular, como de costume. Ele acorda para ir ao banheiro às 24:40 e, como não encontra a esposa, se veste, pega a arma e sai à sua procura em direção à porteira. Na estrada, a uns 500 metros, acha o carro. O som ligado, ouve vozes e tenta abrir a porta. Então começa a gritar. Marcelo não desce, apenas Simone, a qual recebe o tiro, que vara o peito e acerta Marcelo.

Da redação – O Expresso esclarece que essas são versões, pois a polícia segue investigando e só terá relatos oficiais ao final do inquérito.

Autor se entrega, mas ficou calado
Na manhã de terça, 6, o acusado Ronairo se apresentou na Delegacia de Santiago com seu advogado e acabou preso porque havia um mandado de prisão preventiva contra ele, expedido pelo Judiciário de Jaguari a pedido do delegado Guilherme. Ao ser interrogado, Ronairo optou pelo silêncio e irá se manifestar apenas em juízo.

Escaparam por milagre
O delegado Guilherme explica que a espingarda calibre 24, é municiada com cartuchos e chumbo tipo “baletão”. Ou seja, estava carregada com uma única esfera de chumbo, a qual entrou no peito de Simone e saiu nas costas, acertando também a cabeça de Marcelo, de raspão. O delegado explica que um tiro assim pode ser fatal devido ao tamanho do chumbo. Na tarde de terça, policiais foram à casa de Ronairo e conseguiram aprender a espingarda.