Capão do Cipó e o gasto com diárias

Publicado por em .

Caso siga a média, a administração Froner e Jaques pode atingir a marca de um milhão em diárias
Nesta semana o Expresso passou o pente fino no gasto em diárias da Prefeitura de Capão do Cipó, município com pouco mais de 3,5 mil habitantes. Em 2019, a administração do prefeito Osvaldo Froner gastou 197 mil e 200. Caso siga a média/ano, a marca de um milhão em diárias não tarda a ser atingida. Veja também o gasto de algumas câmaras da região.

Gastos da Prefeitura de Capão do Cipó:
2017…………….224.703,00
2018……………..243.583,50
2019……………..197.255,50
2020……………….3.284,50

Gastos do prefeito
2017………………..9.835,50
2018………………..9.475,00
2019…………………11.922,50
2020……………………687,50

Osvaldo Froner.

2 mil e 500 em apenas uma viagem
O prefeito foi o responsável por gastar 11 mil e 900 para custear suas viagens. Três delas foram a Brasília. Na última ida (1º de dezembro) ele usou cinco diárias (2,5 mil) na mobilização municipalista contra a extinção do município. E só para conhecer bem o caminho, fez mais de 4 mil km de carro.

Quase um milhão em diárias
O recorde em diárias da administração progressista foi em 2018, quando foram raspados do cofre 243 mil e 500. Em 2017, foram pagos 223 mil e 130 reais. Caso siga a média, a administração Froner e Jaques pode atingir a marca de um milhão em diárias, o que daria para comprar quatro retroescavadeiras novas.
Obs. 2020 mal começou e já constam 14 mil em diárias. Só Froner gastou 1.087.

Os vereadores também gastaram
Nos últimos três anos os vereadores quase chegaram a 100 mil em gastos. Em 2019, o Legislativo fechou o ano pagando 19 mil e 400. Olmiro Clademir Rodrigues Brum, por exemplo, gastou 2 mil e 500 para acompanhar o prefeito em Brasília. Em 2018, vereadores e servidores gastaram 10 mil e 600; Em 2017, a Câmara desembolsou 13 mil e 600. O vereador Diego Nascimento levou 2 mil para fazer um curso em Foz do Iguaçu.

Diárias necessárias
Capão do Cipó – Conforme o secretário de Administração, Giuliano Estivalet, o uso das diárias em 2019 foi dentro da normalidade. Das viagens a Brasília, duas foram para tentar resolver o problema das caixas d’água da Funasa, que haviam caído com um temporal em 2018. Na outra, para manifestação contra a PEC da extinção dos municípios. Das demais diárias, muitas foram no setor contábil, licitações e Fazenda, já que cursos de qualificação são necessários. Com a implantação do Regime Próprio de Previdência, foi necessário qualificar o pessoal para implantação do Fundo. “É necessário ter um quadro de servidores qualificados para que possa prestar um bom serviço à população.”

Carlos Ortiz.

Mais de 200 mil em dois anos
São Vicente – O jornal verificou o gasto em diárias da Prefeitura de no terceiro ano do mandato do prefeito Paulo Flores (MDB). No site de transparência, a administração da coligação MDB e PTB gastou 129,7 de diárias em 2019. Em 2018 foram gastos mais 100 mil, mesmo após o prefeito ter reduzido o valor da diária de almoço dos motoristas para 30 reais. O prefeito gastou 4 mil e 200. O maior gasto foi para ir em Brasília no dia 12 de agosto (2 mil).

Prefeito diz que houve economia
O prefeito Flores explicou que se fizer um comparativo com a administração dos progressistas ficará evidente a economia com diárias. “Não chegamos a gastar 65% do que foi gasto de 2012 a 2016, mesmo não sendo aprovado o projeto que cortava as diárias pela metade”, disse Flores. Ressaltou que os valores agora são os mesmos para motoristas, prefeito e secretários e reconheceu que os motoristas da saúde recebem muitas diárias, mas ressaltou que são uns 200 pacientes por semana que procuram atendimento em outras cidades e não têm como não pagar. No final, Flores disse que hoje não é candidato e não está atrás de votos.

Enfim, um bom exemplo
Na semana passada revelamos o rombo em diárias da administração do prefeito Paulo Flores e bastou sair a notícia para os bons exemplos aparecerem. Um deles é o do secretário de Assistência Social, Carlos Ortiz. O vicentense é cotado para concorrer a prefeito pelo PTB, não gastou sequer um centavo em diárias, mesmo tendo direito e fazendo, em média, duas viagens por semana. “Também sou motorista da secretaria, sei que tenho direito, mas sei também do momento difícil que estamos. Essa é minha maneira de colaborar com o município”, disse Ortiz.

Vasco Carvalho.

Presidente de pezito no freio com as diárias
São Chico – A Câmara já foi apontada como a segunda na região em gastos com diárias, ficando atrás de Manoel Viana. Desde que assumiu a presidência em 2019, Vasco Carvalho (MDB), deu uma freada e reduziu bastante as viagens dos vereadores, assessores e servidores. Uma das provas de economia, foi a devolução de mais de 470 mil à Prefeitura. Além do dinheiro devolvido, também foram feitas algumas reformas no prédio e implantado o sistema de câmeras para preservar a segurança das pessoas e do patrimônio público. Isso mostra que é possível fazer uma boa gestão sem gastar muito.

Em férias na Capital
Manoel Viana – A Câmara vianense já foi apontada como a mais gastadeira em diárias na região. Essa conquista negativa não intimidou alguns vereadores, que mesmo em recesso, foram pra Porto Alegre participar de um curso promovido pelo Inlegis, Consultoria e Treinamentos. A caravana formada pelos vereadores Claito Trindade (PTB), Tamara Soares (PP), Catiane Alves (PP) e Waldir Witt (PDT), ficou quatro dias na Capital e gastou mais de 11 mil com inscrições, diárias e ressarcimentos.

Tamara Soares.

Gastos com diárias em 2019 chegam a 62 mil reais
A atual presidente Tamara Soares (PP) foi a que mais recebeu; 6.699, seguido dos vereadores Claito Trindade e Valdir Witt, 6.221. Carlos Manganeli gastou 4.307. Marina Porto (MDB) recebeu 3.349,92. Catiane Alves, 1.914,24. Alemão da Oficina (PDT) que se licenciou para ocupar o cargo de secretário de Obras, recebeu 478,56. Já os vereadores Alemão Renz e Ricardo Bacelar, ambos do PDT e Alexandre Colpo (PP), não pegaram nenhuma diária e tiveram custo zero.