Empresário avalia crise e pede força ao comércio local

Publicado por em .

Quem deixa de comprar aqui pra investir fora, está indo contra o emprego dos próprios filhos

Santiago – Em entrevista à rádio Nova Pauta, o empresário João Batista dos Santos analisou que Santiago está bem servida de empresas; tem uma economia forte e citou marcas como Minozzo, Damian, Guasso, Bazana, Rede Vivo e outros que seguem investindo e fazendo a cidade crescer.

O empresário com a família.

De guri trabalhador a empresário respeitado

Ele começou a trabalhar muito guri. Morou em muitas casas, carregou água de burro, foi borracheiro, frentista, caminhoneiro. Com todo esse passado ele soube ensinar aos familiares o amor que sempre teve pelos outros e pelo trabalho. Segundo as filhas Luciane e Aline, seu Batista nunca usou como desculpa o fato de não ter tido um pai ou a falta de dinheiro ou de estudo. “Ele veio para fazer a diferença no mundo, pra fazer acontecer”, diz a mensagem.

O Grupo Batista teve de reduzir em 30% de sua força de trabalho

Ele considera que as pessoas precisam fazer a sua parte pela manutenção das empresas e dos próprios empregos. E uma forma é priorizando a compra local, pedindo também o apoio dos veículos de comunicação. “Quem deixa de comprar aqui pra investir fora, está indo contra o futuro de seus filhos, pois perdemos postos de trabalho”, considerou. O Grupo Batista é um dos que mais emprega. Já teve perto de 200 servidores. Mas ele admite; devido à pandemia, o próprio Grupo Batista teve que reduzir 30% de sua força de trabalho.

Quem fechar corre o risco de não conseguir reabrir

O empresário João Batista acredita que o empresário deve fazer o possível pra se manter, pra não fechar, nem demitir, mas observa que a carga de impostos é um problema e significa mais de 100% em cima de cada funcionário. “Quem fechar corre o risco de não conseguir reabrir. E quem perder o emprego, pode demorar muito pra conquistar outra função”, relatou.

Quer emprego? Se qualifique!

Depois, sugeriu que as pessoas precisam se dedicar mais ao trabalho e ajudar sua firma a se recuperar e crescer junto. “A gente passa por um trabalheira pra treinar as pessoas. Investe tempo e dinheiro na qualificação do funcionário. E ele precisa entender isso e assumir suas responsabilidades. Sem a colaboração, fica difícil, pois há uma responsabilidade muito grande em cima das empresas”, considerou o empresário.

Quem se anima a abrir uma empresa e fazer um investimento hoje?

“Há certos tipos de empresas e prestação de serviços que estão comprometidas. Um exemplo interno: paramos com o espeto corrido e com o buffet livre. Nem sabemos quando isso pode voltar. Quem se anima a abrir uma empresa e fazer um investimento hoje? É um cenário preocupante”, considerou, ressaltando a necessidade de todos fazerem a sua parte pelo melhor e apoiar mais o comércio local.

Esperança no melhor e fé em Deus

João Batista é pessoa de muita fé. Ele disse que a receita é acreditar no que fizemos. Ele mantém a esperança de que as coisas devem melhorar e que Santiago tem tudo pra voltar a crescer. Mas enquanto esse futuro otimista não chega, é preciso encarar a realidade.

Veja toda a entrevista em vídeo no site Nova Pauta.