Eu durmo, ele dorme e você também

Publicado por em .

(por João Lemes)
Sou motorista desde os 18 anos. “Condutor”, como diz a polícia e escrevem os jornalistas. Mais importante que ser um ou outro é se conhecer. No mundo, o trânsito mata 1 milhão e meio por ano. O dobro que as guerras. Das causas, 90% são por falha humana.

Hipnose da estrada
Uma das maiores causas de acidentes são as dormidinhas, mas não aquela de fechar os olhos e roncar. É uma tal hipnose da estrada. Um estado mental em que a pessoa vê, mas não controla os movimentos. Isso pode ocorrer por um segundo apenas e deu. Está feita a anarquia.

Minha dica
Quando o sono bate, eu me conheço e não luto. Encosto em lugar seguro e me entrego. Pronto! Venha, sono! Por vezes ele não vêm. Por vezes ele vem e cochilo por cinco ou 10 minutos. Nas duas ocasiões, ganho “sobrevida” para mais 100 ou 200 km.

Exemplo da Planalto
Outro dia fui conhecer o sistema da empresa Planalto. Descobri que o motorista (e são mais de mil no país) que parar o ônibus por sono ou mal estar e ligar para a empresa, nunca será advertido e, sim, elogiado por tamanha responsabilidade. Claro, é algo raro de ocorrer porque eles dirigem apenas por 6 horas em cada turno.

Semana para falar de trânsito
Diversas atividades acontecem em Santiago nesta Semana Nacional do Trânsito. Para chamar a atenção dos motoristas, foi até colocado um veículo acidentado em frente à Prefeitura. Nesta sexta, 27, haverá uma blitz educativa na entrada do calçadão, em frente à escola Apolinário e também à escolinha de trânsito, na Escola da URI.