Fatalidade ou imprudência? Eis uma alarmante estatística

Publicado por em .

Santiago – O ano está ficando marcado por notícias trágicas no trânsito. Já são oito pessoas que perderam a vida em Santiago. O caso mais recente ocorreu no começo da noite de sábado, 11, na rua princesa Isabel (Vila Rica). Ânderson da Rosa Sibirino (38 anos) faleceu na hora. Conforme a ocorrência, o motorista de uma caminhonete, que seguia em direção ao bairro Carlos Humberto, bateu frontalmente no motociclista. Testemunhas relataram que ele estaria em alta velocidade e fazendo uma ultrapassagem. A moto (Biz) parou a mais de 40 metros do local da batida. O motorista Maurício Rigon (30 anos) acabou preso pela Brigada. Na Delegacia, foi autuado em flagrante pela delegada plantonista Elisandra Batista e foi recolhido ao presídio.

Homicídio culposo

De acordo com a delegada Elisandra, nesses crimes de trânsito, quando o condutor permanece no local, presta socorro à vitima, normalmente não é feita a autuação em flagrante. No entanto, como havia relatos de que Maurício apresentava sintomas de embriaguez e recusou o teste do bafômetro, foi autuado em flagrante por homicídio culposo de trânsito, qualificado pela embriaguez. No domingo, o juiz plantonista (de São Luiz) decretou sua prisão preventiva. O motorista optou por se pronunciar somente em juízo. A delegada Débora Poltosi dará seguimento ao inquérito. A polícia tem 10 dias para concluir as investigações, já que o acusado está preso. Se estivesse solto, o prazo seria de 30 dias.

A vítima

Anderson, conhecido como “Fino”, morava no bairro Jardim dos Eucaliptos. Ele deixa

Conteúdo liberado somente para assinantes. Assine aqui!