Grupo Damian: Uma empresa familiar que só tem crescido

Grupo Damian: Uma empresa familiar que só tem crescido

Santiago – Em 2013, a região ganhou um dos maiores e mais completos centros de compras do Estado. Desde então, o Damian Center Lar tornou-se líder em vendas em material de construção. No ramo de supermercado não é diferente. São mais de 4 mil m² reunindo diversificada linha de produtos. Assim, a Vila Nova, maior bairro de Santiago, viu o fortalecimento e abertura de outros tantos segmentos, graças a essa iniciativa da família Damian.

Damian Center Lar chega aos cinco anos O grupo, que ultrapassa a barreira dos 40 anos, completa cinco anos com o gigantesco supermercado. Querem mais? O grupo avisa que as mudanças não pararam. Já está em andamento a obra do novo empreendimento. Desta vez, o foco muda para outro lado da cidade, para a rua Bento Gonçalves, onde estão sendo investidos mais 12 milhões em um centro de compras ainda maior.

O início de tudo

Tudo começou na década de 70, quando o empresário Ruben Damian abriu uma madeireira que aos poucos se juntou à loja de material de construção. Depois surgiu a construtora. Surge as primeiras casas e depois prédios com acabamento diferenciado. Há 5 anos a empresa viu a necessidade de ampliar os negócios, chegando ao Damian Center Lar, administrado pelo patriarca Ruben Damian e os filhos Nino, Gidião, Ricardo e Pablo. A seguir, o empresário Nino Damian fala desse sucesso e dos novos investimentos.

Numa era tão difícil para os negócios no Brasil, qual a receita para seguir crescendo?
Nino – Trabalhar bastante, manter uma equipe competente, se reinventar todo o dia e não pagar juros.

Grupo Damian: Uma empresa familiar que só tem crescido

O Super Damian chega aos cinco anos: o que mudou e o que ainda mudará?
Nino – Trouxemos um conceito de mais conforto, melhor infraestrutura, maior variedade, produtos de qualidade, sempre mantendo preços competitivos e bom atendimento. A ideia é que o cliente de Santiago e região não precisasse mais recorrer a Santa Maria ou Porto Alegre.

Cite características que só o Super Damian tem, além da gigantesca estrutura.
Nino – 1) Nosso açougue somente abate novilhos de raças inglesas, escolhidas a dedo sempre com foco na qualidade (nunca abatemos gado de descarte);
2) Possuímos o maior estacionamento, que agora está coberto;
3) Temos Lancheria e Rotisseria dentro do super;
4) Maior variedade de frutas, verduras, bebidas, queijos e embutidos;
5) Acessibilidade total para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção;
6) Loja de material de construção e decoração anexa ao super
Obs. Já ‘quebramos o galho’ de muitos clientes que precisam de um item de ferragem em domingos.

Grupo Damian: Uma empresa familiar que só tem crescido

Novo Damian: Um empreendimento de 12 milhões
Quem passa pela rua Bento Gonçalves já enxerga as vigas pré-moldadas que estão sendo colocadas no terreno onde será o Centro Comercial Damian, complexo este que vai gerar mais de 120 empregos diretos. O investimento é de mais de 12 milhões em uma área construída de mais de 6 mil m². O novo Damian terá supermercado maior do que o da Vila Nova, lojas para locação, praça de alimentação, farmácia e estacionamento. A inauguração deve ocorrer em 2019.

E sobre o novo centro de compras: de onde surgiu a ideia? Quais as novidades? Que público vai abranger? É possível compará-lo ao Damian Center Lar que já existe?
Nino – Inicialmente iríamos fazer apartamentos ali, mas durante a crise, imóveis estavam vendendo menos do que alimentos. Aí repensamos, fizemos alguns estudos de projeto e verificamos que Santiago não possuía nenhum centro comercial ou shopping com estacionamento. Além disso, aquela região da cidade possuía poucas opções de supermercado, muito menos supermercado junto com farmácia, praça de alimentação, lotérica, salão de beleza, academia, chaveiro…. são esses alguns negócios que queremos ver ali.

Um avanço no comércio
Nino – Vai ter total acessibilidade, com rampas e 2 elevadores. O supermercado será um pouco maior que o atual e poderá funcionar em horários diferentes das outras lojas, com acessos separados. Acreditamos que será um salto de comércio, serviços e entretenimento para Santiago e região.

Como vê hoje a economia da região e quais as perspectivas de crescimento?
Nino – A nossa economia sofreu menos com a crise do que os centros mais industrializados. Aqui a economia depende muito da agropecuária, e este é um setor que vem apresentando melhores resultados. A economia local está melhorando aos poucos, mas está melhorando. Para 2019, após as eleições, acreditamos em um expressivo crescimento.

O que ainda falta em Santiago para acelerar esse avanço?
Nino – Acreditamos que falta uma política de fomento de negócios. A máquina pública não é orientada para geração de empregos. Apesar de alguns esforços pontuais, tudo ainda é burocrático e lento. Ainda não temos pessoas especializadas e preparadas para agilizar processos, oferecer incentivos e atender às empresas que vão gerar empregos.