Grupo de professores cobra a prefeitura na Justiça após o contrato ser suspenso

Publicado por em .

Reprodução.

Santiago – Um grupo de professoras contratadas pela Prefeitura em regime emergencial veio ao Expresso dizer que houve um descaso por parte do município, o qual suspendeu seus contratos via mensagem WhatsApp. A representante do grupo (não quis se identificar) conta que foram em torno de 40 contratadas em fevereiro e, dessas, oito entraram na justiça em busca dos salários. Segundo ela, o que mais causa indignação é a forma com que tudo aconteceu, pois passaram por um processo seletivo.

O contrato foi apenas suspenso, não rescindido

O município diz que a ação foi interposta por professores contratados em caráter emergencial. Os professores realizaram suas atividades desde o

Conteúdo liberado somente para assinantes. Assine aqui!