Mais de 90 creches ficam só no papel

Mais de 90 creches ficam só no papel

IMAGEM ILUSTRATIVA.

Estado – Prefeitos de todo o Estado, incluindo o de Santiago, foram pegos de surpresa com a notícia de que o governo federal cancelou convênio para a construção das creches, cujas obras ainda não foram iniciadas. Com a decisão, 96 creches do Proinfância de 25 cidades não sairão do papel, a exemplo da que seria feita no bairro Maria Alice Gomes, para ser a maior de Santiago. O número representa 46% das 208 creches anunciadas no programa para o RS em 2012, mas que não foram executadas por diversos fatores, como falta de repasse do dinheiro ou problemas na licitação e com construtoras. Os prefeitos que ainda quiserem construir creches podem montar um novo projeto com outros modelos de licitação, fora dos critérios do Proinfância e em parceria com o governo federal ou estados.

Santiago não desistirá da sua creche
O Expresso entrou em contato com a secretária de Educação, Mara Rebelo. Ela disse que soube pela imprensa que o ministério da Educação cortou os convênios, atingindo Santiago. Falou que entrará em contato para ter mais informações, mas garantiu que se empenhará para entrar com um novo projeto.