Mata pede socorro

Nesta manhã de quinta,8, não ficou ninguém em casa na pequena cidade. A rua foi o lugar das pessoas, que apavoradas, pediam segurança. A foto de Álvaro Taschetto mostra como foi o movimento. Na madrugada de quarta, 7, vários homens armados e encapuzados entraram na cidade atirando. Eles arrombaram várias lojas e bancos. Os alvos foram: Lojas Becker, Célia Modas, Banco do Brasil, Sicredi, Lotérica e a lancheira do Clube Matense. Dos dois bancos, não conseguiram levar nada, nem da lotérica, ao contrário do que aconteceu nas lojas Becker, de onde furtaram muitos celulares e demais eletrônicos, motosseras e outros equipamentos de valor. Do clube, levaram 200 reais que havia no caixa. Ninguém ficou ferido, ninguém foi preso. No mês passado, a população também ficou aterrorizada com o arrombamento dos três bancos com uso de explosivos: Sicredi, Banco do Brasil e Banrisul.

“Policiamento, só lá
de vez em quando”
Em 2015 o posto da Brigada foi fechado e, no ano seguinte, reaberto com cinco brigadianos. Com poucos policias, os turnos são de 12 horas e há horários em que não há patrulhamento na cidade, caso da madrugada em que a bandidagem tomou conta. Desde 2015 os bancos já foram arrombados quatro vezes.

Madrugada
sem policiamento
Conforme o prefeito Sérgio Bruning (PP) (na madrugada dos arrombamentos não havia policiais nas ruas. Ele já se movimentou para pedir mais segurança, porém ainda não foi atendido. Ele acredita que os meliantes sejam os mesmos da outra vez, pois usaram o mesmo carro. Um deles roubou até um pneu do carro de uma servidora pública que estava na rua.

“Nem o prefeito foi na
audiência pública”
O vereador Alessandro Figliero (Toco – MDB) disse que os vereadores tentam fazer sua parte também, mas numa audiência pública, nem o prefeito compareceu, que dirá a população. “Parque eu todos estão descrentes na política”. Agora eles se movimentarão para que as forças da segurança coloque mais câmeras de segurança pela cidade.

Um ou dois
brigadianos resolvem?
O coronel Dutra, comandante regional da Brigada, foi à cidade levar apoio às autoridades e dizer que estão traçando estratégias para dar mais segurança a todos, mas adianta que um ou dois brigadianos não resolvem muita coisa contra uma quadrilha fortemente armada.