Megaoperação: 200 policiais e mais de 20 presos

Publicado por em .

Megaoperação: 200 policiais e mais de 20 presos

Santiago – A segurança pública uniu forças e a cidade viu a maior operação policial da sua história. Na terça (4), ainda de madrugada, mais de 200 policiais civis de toda a região, militares, com apoio da Polícia Rodoviária Federal, Exército (com cães farejadores), Bombeiros e Promotoria se concentraram na sede campeira do Coxilha de Ronda, de onde saiu um comboio de 55 viaturas para cumprir 73 ordens judiciais (27 mandados de prisão preventiva e 46 de busca e apreensão) no bairro Irmã Dulce. O foco da operação “Angelus Bonum” foi o tráfico de drogas, associação ao tráfico, receptação e finalizar um trabalho de investigação de mais de um ano no bairro responsável por mais da metade do comércio de drogas no município.

Pedreira sitiada
O delegado Guilherme Antunes coordenou a parte operacional. Ele explica que foi preciso fechar o bairro, já que havia relatos que alguns indivíduos responsáveis pelo tráfico no local coordenavam ações e incitavam a população a agir contra a polícia e a forma mais segura de executar a operação foi entrar na vila com a grande massa de policiais. A Brigada fez o cerceamento e ninguém saiu e nem entrou até que o fim trabalho. Na semana passada viaturas foram apedrejadas e dois brigadianos ficaram feridos durante abordagem.

Megaoperação: 200 policiais e mais de 20 presos

Não perca a conta
A operação resultou em 27 prisões, sendo que alguns dos investigados já estavam no presídio, e apreensão de objetos relacionados ao tráfico, além de um revólver. Os presos são: Bruno Garcia Sisxi (21 anos); Anderson Siqueira Fonseca (30); Alexandre Adalgiro Dorneles (35); Carlos Roberto da Encarnação Ribeiro (29); Daiane Fonseca Nunes (33); Deividi Fonseca Ramos (23); Ester Silveira Moiano (24); Douglas de Lima Alves (22); Elimar Vinicios Gonçalves Machado (31); Fabiano Sá Chagas (26); João Paulo Oliveira (29); João Paulo Tubias Gonçalves (20); Jolvane Batista de Sá (28); Juliandro Chagas Gonçalves (35); Leandro Chagas Soares (26); Lucas Silveira Moiano (23); Marilene do Amaral (48); Matilde de Cácia do Amaral (20); Paulo César Quadros (46); Paulo César Soares Costa (20); Peterson Gonçalves da Silva (26); Rafael Almeida Corrêa (23); Rafael Lima Alves (19); Rafael Martins Müller (30). Também foram presos em flagrante Galmarino de Sá Fonseca (58 anos), por posse irregular de arma de fogo, Rosa Lia Batista de Sá (46), autuada por tráfico e Robson Eduardo Ferreira (foragido de São Luiz). Três pessoas estão foragidas.

Consórcio de droga
O delegado Guilherme explica que a polícia começou investigando duas facções dentro da vila. Elas eram auxiliadas por familiares e amigos. Mais no final das investigações se apontou que essas duas facções estavam trabalhando em conjunto e se dividindo na distribuição da droga; alguns vendiam maconha, outros, cocaína e crack. “E dessa forma eles se fortaleceram e evitaram a entrada de pessoas de grandes facções do RS naquele local. Eles se consorciaram pra a venda de entorpecente”, diz Guilherme.

Megaoperação: 200 policiais e mais de 20 presos

Boca de fumo
Durante as investigações, houve diversas apreensões de drogas, sendo uma delas a maior já feita em Santiago. De acordo com a polícia, mais de 130 pessoas usuárias foram presas depois de saírem do bairro com drogas.

Combate ao crime
De acordo com o delegado regional, Charles do Nascimento, a operação é o resultado de um trabalho de mais de um ano em conjunto com a Brigada. Traficantes que residem no local controlavam o bairro usando diversas residências para o tráfico e para esconder objetos ilícitos. “Tivemos uma grande operação, mostrando que as forças policiais unidas são determinantes no combate ao crime. Toda a operação foi monitorada online pela chefia de polícia e Secretaria Nacional de Segurança, de Brasília, mostrando que nosso método de investigação é de ponta”, informou ele.

Megaoperação: 200 policiais e mais de 20 presos

Capitão Sílvio e delegados Charles, Guilherme e Elisandra.

Trabalho em equipe
O capitão da Brigada, Sílvio Gavioli destacou a união de todos. “Mais um exemplo da integração policial dando uma resposta à comunidade, que merece melhores condições de segurança. E aqui há esforço em conjunto das duas principais instituições, que são a Brigada e a Polícia Civil”, declarou.