Mês positivo na saúde

Publicado por em .

Mais consultas, menos filas e melhor transporte para os pacientes
Santiago – A secretaria de Saúde passou por mudanças. Com a saída da secretária Gisélle Ribeiro, o secretário de Gestão Éldrio Machado assumiu também essa área como interino. O resultado foi: mais consultas, menos filas e transtornos no transporte de pacientes à capital, dentre outras inovações.

Consultas ginecológicas somente por agendamento
Depois de fechar parceria com a Planalto para o transporte de pacientes à capital, representando uma economia de 25%, o novo secretário começou a aplicar novas regras nos atendimentos para extinguir filas. O Centro Materno, por exemplo, passou a oferecer marcação de consultas ginecológicas somente por agendamento, a ser feito no próprio local, das 13h30h às 17h. Para garantir atendimento e acabar a espera, o secretário estabeleceu novo contrato com a médica ginecologista Rose Martins. Ela ampliou sua atuação no Centro Materno.

Sem o transtorno da madrugada
“O objetivo é aumentar a oferta e normalizar a situação, adequando o atendimento dos profissionais às necessidades da população, sem o transtorno. Também haverá monitoramento à noite para prestar esclarecimentos aos que ainda buscarem as filas.”, confirma o secretário.

Éldrio Machado avalia positivamente esse primeiro mês frente à secretaria de Saúde e destaca:
A contratação de um médico traumatologista; o aumento das consultas ginecológicas no Centro Materno – com agendamento e o fim das filas na madrugada -; e a articulação para a vinda da secretária estadual Arita Bergmann, a qual anunciou aumento nas consultas cardiológicas para Santiago e região.

Quantos postos há no sistema e quantos médicos atendem?
São 11 ESFs, 10 deles com médicos atendendo 40 horas e um com 20 horas. Já o Sistema Integrado de Saúde dispõe de 10 médicos horistas, um cirurgião geral e uma dermatologista. No Centro Materno Infantil são três ginecologistas, pediatra, urologista e radiologista. Também há profissional na SAE, Vigilância Epidemiológica, perícia e Caps, totalizando 33 médicos contratados.

Falta alguma especialidade médica?
O serviço que não é referenciado via 4ª CRS – Santa Maria Sistema (Sisreg) é solicitado para Porto Alegre (Gercon). Os de alta complexidade são encaminhados a centros de referência, como Porto Alegre, Santa Maria, Lajeado e Cruz Alta.

Éldrio Machado.

Na traumatologia, por exemplo, como é feito?
O paciente consulta na unidade básica e leva o encaminhamento à secretaria de Saúde, setor de regulação. Então, ele é inserido no Sistema Nacional de Regulação (Sisreg), regulado pela 4ª Coordenadoria – Santa Maria, que tem uma médica para gerenciar as vagas.

E no caso dos exames, quais os que o município (ou SUS) não oferece?
Tudo depende do exame e encaminhamento. Quando o paciente é encaminhado para o Hospital Universitário de Santa Maria, todos os exames necessários são feitos lá.

Em quais áreas da saúde há mais procura?
A maior procura é na traumatologia, neurologia, cardiologia. Infelizmente, as fichas disponíveis não atendem a todos, já que todo mês as cotas oferecidas pelo SUS não são suficientes. Ficando uma “demanda reprimida” muito grande. É uma situação que não depende da gestão municipal.

Por que havia filas madrugada a dentro?
Temos a nossa maior demanda praticamente resolvida. Estamos oferecendo maior oferta de atendimento através da médica ginecologista no Centro Materno Infantil. E, desde o início desta semana, mudamos o sistema de fichas para agendamento, que acontece apenas no turno da tarde. Com isso, humanizamos o atendimento e o acesso das usuárias ao sistema.

Qual o máximo de espera entre o agendamento e a consulta?
Dentro da Atenção Básica tem uma média de 30 dias, conforme critério de risco mediante a triagem da equipe da enfermagem. Após uma escuta qualificada, o usuário poderá ter prioridade na avaliação.

Considerações:
Temos uma estrutura de excelência em saúde (atenção básica) em Santiago, com uma equipe técnica formada por grandes profissionais, de alta qualificação da qual nos orgulhamos. Estamos buscando a humanização na entrega desses serviços ao cidadão, pois nossa obrigação é receber bem, dando o melhor acolhimento possível. O prefeito Tiago tem acompanhado pessoalmente esse processo e cobrado respeito e atenção aos usuários.

Mais Médicos: Santiago à espera de profissional
O RS tem 29 municípios que ainda aguardam profissionais do Mais Médicos. São cidades consideradas de perfil mais vulnerável e que não conseguem atrair ou manter aprovados pelo programa: Entre elas estão Santiago, Itacurubi e Capão do Cipó. Também estão na lista Formigueiro, Itaqui, Jari, Restinga Seca, Santo Augusto, São Sepé e Uruguaiana. Para preencher as vagas, o ministério da Saúde lançou mais um edital, direcionado desta vez a brasileiros formados no Exterior. No total, são 600 vagas em todo o país.