Miguel Bianchini diz que é “ferro neles”

Publicado por em .

Miguel Bianchini e João Lemes.

Santiago – O entrevistado na rádio Nova Pauta foi o candidato a prefeito Miguel Bianchini (PL), o Bombeiro de Ferro.

Um pouco de sua trajetória

É casado, tem duas filhas. Foi vereador e é ex-deputado estadual. Formado em Gestão Pública, com especialização em Gestão de Cidades. Vendeu pastel até conseguir o primeiro emprego no supermercado Ritter. Serviu o Exército e voltou pro Ritter. Depois passou no concurso para a Brigada e foi trabalhar nos Bombeiros. Chegar ao comando. Se aposentou e concorreu a vereador em 2004.

Quais suas principais realizações como vereador?

Foram muitas leis aprovadas, mas cito a Lei da Transparência, pioneira no Estado. E também fui o autor do Código de Ética Parlamentar. Quando fui presidente economizei, ajudamos o Criança Feliz e ainda fizemos obras.

Avalie sua saída do PP

Não sou contra o PP. Saí para buscar novo caminho. Fui sempre aguerrido, tinha espaço dentro do partido. Mas queria mudanças. O problema da administração quando tem um continuísmo é que vai viciando e inchando.

Primeira encrenca no PP

A minha primeira encrenca foi com o Ruivo, que apresentou alternativas de incremento ao orçamento e contestei, pois sou contra o aumento de impostos. Até o Toninho me disse que o mandato era do partido e não do vereador. Antes de eu sair, o Ruivo me pediu que não o fizesse, pois eu seria o próximo candidato a prefeito. Disse que não aceitaria concorrer pelo PP.

Como o senhor vê a atual formação da Câmara?

Muitos cobram que um vereador faça leis, mas 99% deles são de origem do Executivo. O dever é

Conteúdo liberado somente para assinantes. Assine aqui!