Nossos pequenos confinados: essas doces criaturas são as que mais sofrem

Publicado por em .

A especialista Giovanna Brum Fraga explica:

“E assim, de repente, fomos arrancados de nossa rotina sob a ameaça de um inimigo invisível. O impacto foi inevitável para todos, mais para as crianças”.

Para as crianças, a quarentena está refletindo diretamente em seu desenvolvimento e comportamento. Durante a pandemia, os efeitos psicológicos imediatos mais comuns nas crianças são: dependência excessiva dos pais, atitudes regressivas – como voltar a pedir chupeta, retroceder no processo de desfralde, dificuldades para dormir sozinhas, preocupação, distúrbios do sono e de alimentação, pesadelos, irritabilidade e ansiedade.

Sintomas psicossomáticos

Tais efeitos também podem tornar-se mais claros com sintomas psicossomáticos. Os quadros variam de acordo com a forma como a família lida com a situação. É necessário estarmos atentos a tais pistas de que a criança está em busca de estabilidade e segurança, acolhimento este que só um adulto em quem ele confie pode lhe oferecer. Nesse sentido, apoio psicológico e emocional são fundamentais para a superação das dificuldades”,

Giovanna Brum Fraga é Psicóloga – CRP 07/11436 – Especialista em Psicologia da Aprendizagem, do Desenvolvimento e do Comportamento