O furo e gastos em diárias

Publicado por em .

São Vicente – O terceiro ano do mandato dos políticos encerrou e a gastança com diárias também pode ter chegado ao fim, já que 2020 é um ano eleitoral e eles farão de tudo para ficar no município na tentativa de conquistar alguns votos. No site de transparência, a administração do prefeito Paulo Flores (MDB) gastou 129 mil e 700 só em diárias no ano passado. Em 2018, foram gastos 107 mil mesmo após o prefeito ter reduzido o valor da diária de almoço dos motoristas para 30 reais. O prefeito Paulo gastou 4,2 mil em diárias. O maior gasto foi para ir a Brasília no dia 12 de agosto (2 mil).

Edimar Rumpel.

Legislativo também mordeu
O vereador José Luís Cogo (PDT) não gastou nem 1 real com diárias, mesmo assim seus colegas e funcionários da Câmara gastaram 28 mil e 400 reais para custear as viagens e cursos. Três assessores de bancadas gastaram 1.084,00 (cada um) para participar do curso sobre nivelamento técnico, fiscalização do encerramento, transição, eleição da mesa e cerimonial para eventos de fim de ano e sessões solenes. No final das contas a cerimonia da sessão solene de posse do novo presidente não saiu do papel e o vereador Edimar Rumpel, que deixou o cargo de presidente, nem chegou a falar na sessão. Tudo porque seu colega José Luís perdeu a eleição para comandar o Legislativo. Edimar Rumpel foi o campeão na gastança. Ele torrou 5.400,00. Giovani Carpes utilizou 4.500 para fazer cursos de aperfeiçoamento na capital.