Sai que é sua, Marcelo Brum!

Sai que é sua, Marcelo Brum!

Marcelo, a esposa Litiere e Jair Bolsonaro.

(por João Lemes)
O antigo bordão do narrador Galvão Bueno o acompanha desde a copa de 1994, quando dizia “Sai que é sua, Tafarel!”. O Galvão foi pé quente. A Seleção brilhou e o gaúcho Tafarel brilhou mais ainda ao pegar um pênalti para dar o tetra ao Brasil.

Aqui em Santiago, distante um pouco das copas, mas não distante dos gramados, havia um menino com muita habilidade com a bola. Até seguiu carreira nesse campo, mas, em vez de dominar a redondinha, dominou foi o microfone. E foi com seus programas esportivos pela antiga Iguaçu que se destacou e ganhou de presente uma gravação de Galvão Bueno, dizendo; “Sai que é sua, Marcelo Brum. Corre atrás do sucesso que você chega lá”. E chegou.

Voz gaúcha e brasileira
Anos mais tarde, o filho da dona “Eva das viandas”, o irmão do craque Rui, chegaria ao ápice do rádio gaúcho com a Voz do Campo, levado ao ar por um grande número de emissoras. Ele transmitiu programas com centenas de produtores, com dezenas de autoridades estaduais e federais, até diretamente dos Estados Unidos.

O filho da Dona Eva na Câmara Federal
Só que ele queria mais; numa dessas aceitou o convite para concorrer a deputado federal e fez muitos votos. Ficou acreditado no partido (PSL) e saiu até em rede nacional, levando pedidos dos produtores do RS e, como evangélico, orando para o novo presidente em sua casa. Como todo bom jogador, Marcelo (45 anos) precisou também de sorte. Então, brilhou sua estrela. O deputado federal Onyx Lorenzoni será ministro da Casa Civil. Como Marcelo ficou na suplência, será o primeiro representante santiaguense na Câmara Federal.

Sai que é sua, Marcelo Brum!Como viu a vitória?
Uma bênção de Deus. Uma trajetória de muito trabalho e dedicação através da comunicação que culminou com a eleição e a conquista de uma cadeira no Congresso Nacional. Depois acabei me dando conta de que esse é uma fato inédito para Santiago e região. Poderia ser outro, mas Deus quis que fosse eu. Então, lá estarei.

Planos para o mandato?
Vou auxiliar na materialização das medidas que o novo governo pretende implantar no país. Pretendo lutar pelas políticas agrícolas que tragam desenvolvimento e melhores condição para o produtor rural e atuar com lideranças para trazer progresso e crescimento para a nossa região. Além disso, quero realizar um trabalho social esportivo, um sonho que trago comigo há muitos anos.

E quanto à equipe?
Estamos conversando com pessoas do meu relacionamento para formarmos uma base comprometida e qualificada para atuar perante a região, no estado e no meu gabinete.

Pode adiantar nomes?
Ainda não, como disse, quero analisar bem a formação da minha equipe.

Quando se mudará para Brasília?
Acredito que em janeiro já estarei residindo lá, mas minha família continuará em Santiago onde temos nosso escritório, que permanecerá no mesmo lugar. Pretendo semanalmente estar aqui.

E o programa A Voz do Campo?
Ele será levado a diante pela minha esposa, a Litiere, e com a equipe que foi montada. Também farei programas de lá e de outros estados. Não abandono o rádio. Os ouvintes e o homem do campo precisam de mim.