Sequelas da depressão vão durar mais que a pandemia

Publicado por em .

Reprodução.

O que explica o crescimento da depressão e ansiedade?

Depressão é transtorno traiçoeiro que transforma a vida num fardo difícil de suportar. Mesmo antes do coronavírus, já era considerada “o mal do século”. Segundo a Organização Mundial da Saúde, agora será a principal causa de faltas no trabalho.

Seria a química cerebral, a pobreza, ou a solidão?

“Embora a pobreza possa aumentar a prevalência de pessoas deprimidas, por que razões tantos que desfrutam de melhores condições financeiras desenvolvem um transtorno que lhes tira o prazer de viver?”, questiona o médico Dráuzio Varella. “Nas últimas décadas, a ênfase foi dada à biologia dos neurotransmissores, os sinais químicos que os neurônios trocam nas sinapses.

Na fragilidade do isolamento

Porém, desajustes na “química cerebral” não são suficientes para [woocommerce_members_only] explicar o crescimento da doença. O agrupamento foi essencial à sobrevivência dos nossos ancestrais. Desde então, a sensação de isolamento nos torna tão frágeis, que mal conseguimos suportar um sábado à noite sozinhos em casa.

Cristiane Copetti.

Santiago não é diferente, mas uma equipe está sempre vigilante

Santiago não é diferente, há equipes de saúde mental com o objetivo de acompanhar tais situações. Conforme a psicóloga Cristiane Copetti, coordenadora de Saúde Mental do município, a demanda por atendimento é elevada. No serviço Soneto/Niepe, por exemplo, até fevereiro eram realizados em torno de 260 atendimentos psicológicos mensais, entretanto, devido à pandemia, os atendimentos estão focados nos casos de maior risco, os quais têm sido monitorados pelas equipes da saúde mental em parceria com secretarias municipais, universidade e Grupo Hospitalar de Santiago.

Número de suicídios é alto e familiares devem ficar atentos

Segundo dados epidemiológicos, durante este ano ocorreram 5 suicídios e uma média de 30 tentativas. Os especialistas dizem que é importante o papel da família na percepção e encaminhamento dos casos de maior risco. Todos podem procurar apoio nos serviços da rede de saúde mental (Caps ad; Caps Nossa Casa e Soneto).

Escuta qualificada

No serviço Soneto/Niepe, a primeira escuta qualificada é realizada na atenção básica do seu respectivo território (ESF), o qual encaminhará para o atendimento, caso necessário. Entre os atendimentos ofertados no momento, os de maior demanda estão sendo o psicológico (presencial ou telefônico) e psiquiátrico. Caps ad: (55) 3251 6460; Caps Nossa Casa: (55) 3251 6180; Soneto/Niepe: (55) 3251 2701. Em agosto deve estar funcionando em Santiago o CVV – Centro de Valorização da Vida.

[/woocommerce_members_only]

[woocommerce_non_members_only]Conteúdo liberado somente para assinantes. Assine aqui![/woocommerce_non_members_only]