Seria ela a última lavadeira?

Lavadeira era uma das profissões mais comuns no passado. E foi lavando roupa que a jaguariense Araci da Silva (84 anos) conseguiu sustentar os 11 filhos. Ela perdeu o marido e precisou criar todos sozinha. Alguns morreram ainda pequenos. Sua vida foi sofrida, mas a idosa garante que nunca faltou amor e dedicação à família. “Sempre que alguém precisava, eu estava pronta pra colocar a trouxa na cabeça e ir pros rios. Era muito sofrido, mas foi a maneira que encontrei de ganhar dinheiro para sustentar minha família”, conta. Mesmo com pouco a oferecer, dona Araci ainda cuidava dos filhos de amigas, parentes e de alguma vizinha que ia trabalhar ou para alguma festa.

Lavadeira de defuntos
Além de roupas, dona Araci também era muito solicitada quando morria alguém de família sem condições de pagar a funerária. “Eu lavava o corpo e preparava para o enterro. Uma vez higienizei o corpo de uma afilhada, mas não consegui ficar para o velório porque a emoção foi muito grande”, recorda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *