Uma notícia muito triste: por que os suicídios não param de crescer?

Publicado por em .

Uma notícia muito triste: por que os suicídios não param de crescer?

Santiago – O alto número de tentativas de suicídio nos dois primeiros meses de 2019 assusta os profissionais da área. Até a metade de março foram 26 casos registrados (e duas mortes) contra 49 de todo o ano passado (cinco mortes). As tentativas de suicídio estão aumentando a cada ano no município: Em 2015, ocorreram 18 tentativas e seis consumados. No ano seguinte, seis registros, todos fatais. E, 2017, 20 pessoas tentaram o suicídio, com cinco mortes.

Em busca de solução
Em Santiago, a escola Thomás Fortes lançou um projeto piloto para trabalhar com os alunos questões ligadas ao suicídio. O projeto é em parceria com a Clínica Soneto (secretaria municipal de Saúde) e URI.

A pobreza está entre as causas
O Brasil está na 113ª posição no ranking das chamadas mortes autoinfligidas. No entanto, as notícias não são animadoras, já que o suicídio está crescendo. A taxa subiu 60% desde 1980 e já passa de 10 mil mortes por ano. Os motivos são os esperados: fragilidade social e instabilidade econômica. O suicídio tem uma forte correlação com a pobreza: 75% das mortes ocorre em países de baixa e média renda.

Os motivos entre os gaúchos
No RS, as causas de suicídios estão entre as mais variadas. Há um histórico em famílias alemãs, também por depressão ligada ao uso de agrotóxicos, baixa escolaridade, endividamento, abuso de álcool, transtornos mentais e a defesa da honra.

Os números
Conforme levantamento da médica Sônia Nicola (diretora técnica do Hospital), das 29 tentativas, 24 envolvem mulheres e 5 homens. A maioria tem entre 40 e 50 anos. Em segundo, vêm jovens entre 10 e 20 anos. Outra informação é sobre a forma que essas tentativas ocorrem; 99% são por ingestão de medicamentos. Também há casos de pacientes que se cortam ou tentam se enforcar. “Nos preocupa porque são adolescentes, e pessoas que estão partindo pra terceira idade. Os casos consumados são feitos pelo Instituo Médico Legal e não passa pelo HCS. Muitos dos pacientes ficam internados na psiquiatria porque disseram que não iam parar de tentar”, explica a médica.

Uma notícia muito triste: por que os suicídios não param de crescer?

Até 2020, a depressão será a doença mais incapacitante
Atualmente, mais de 120 milhões de pessoas sofrem com a depressão no mundo. Só no Brasil são 17 milhões. Cerca de 850 mil morrem por ano por causa da doença. A Organização Mundial de Saúde prevê que até 2020 a depressão será a doença mais incapacitante em todo o mundo.

Uma notícia muito triste: por que os suicídios não param de crescer?O adeus à Yasmin Gabrielle
A famosa Yasmin Gabrielle, 17 anos, ficou conhecida por se apresentar no Programa Raul Gil e ser uma das assistentes mirins do apresentador. Domingo, 21, ela foi encontrada morta. Yasmin sofria com depressão e há a suspeita de suicídio.

Ator diz que o melhor remédio para a depressão é conhecê-la
O comediante Jim Carrey falou sobre a depressão. Carrey disse que a doença tem fases amenas e outras difíceis. Ele consegue sorrir quando está no trabalho, mas continua em um baixo nível de aflição. A depressão vai e volta, mas agora ele aprendeu a enfrentá-la.

Vida (quase) normal
Grande parte convive com a doença e pode trabalhar e estudar “normalmente”, até mesmo aparentar felicidade. Jim Carrey é um exemplo disso, já que continuou a trabalhar e até a manter o senso de humor. A depressão de Carrey mostra que o tratamento adequado pode controlar a doença com auxílio médico.

Nilmar enfrentou a depressão
Sem jogar há um ano e sete meses, o atacante que despontou no Inter e depois passou pela Europa, deu entrevista ao Esporte Espetacular falando que está mais perto de se aposentar do que voltar aos campos. Em 2017, com 33 anos, o craque tinha uma carreira de sucesso ao chegar no Santos. Porém, nada disso impediu que sua vida mudasse. Sem forças para treinar e jogar, Nilmar deixou o Santos após dois jogos. O atacante tinha pela frente o adversário mais difícil de sua vida: a depressão. Hoje, quase dois anos depois, Nilmar diz estar curado e agradece ao apoio da família.

Uma notícia muito triste: por que os suicídios não param de crescer?

Nilmar diz estar curado e agradece ao apoio da família.

A depressão não é constante
Ter depressão não é se sentir desanimado o tempo todo, visto que a presença e intensidade dos sintomas variam. “O problema começa quando o sentimento debilita a qualidade de vida, se manifestando durante a maior parte do dia, quase diariamente, por um período de duas semanas”, explica Antônio Geraldo da Silva, da Associação Brasileira de Psiquiatria.

Depressão de adolescentes: atenção para os sinais!
A doença que abala os ânimos não é exclusividade de adultos. Sua incidência está subindo entre os adolescentes dos Estados Unidos e não é diferente no Brasil. Para saber se seu filho está deprimido, fique atento aos seguintes sinais:

Desânimo – O jovem demonstra tristeza e falta de vontade. Fora isso, fica mais irritado.

Apetite alterado – Se a fome aumentar ou diminuir muito, é bom prestar atenção. O mesmo vale para o padrão de sono.

Piora na escola – A doença que detona o humor costuma deixar os adolescentes menos participativos nas aulas e as notas caem.

Negatividade – Pensamentos suicidas, como “nada mais vale a pena”, podem dar as caras. É essencial buscar ajuda.