Advogado se manifesta: testemunhas são do além 13/03/09

SÃO FRANCISCO – O advogado santiaguense Dionísio da Costa, defensor de Noedilma Hemann Pires, disse que, como conhecedor das provas, os fundamentos que motivaram as quatro prisões na semana passada são extremamente frágeis e cairão quando confrontados com as provas.E o advogado vai mais longe: “Estranha-se que só agora a autoridade policial resolveu procurar e convencer uma pessoa, de outra cidade, a trazer notícias que lhe foram repassadas por alguém morto (Jacir Paulo Coró). Casualmente, a pessoa que traz as novidades é amigo íntimo do autor de hediondo homicídio, praticado pelo tio do falecido (Alcione) e também tem boas relações com os parentes do autor desse homicídio, o qual foi praticado na rua, na frente de um filho da vítima (Coró) com a vítima desarmada e alvejada pelas costas.” Credibilidade abalada“Esta é a prova que determinou a prisão de pessoas dignas e nos leva a tempos antigos, quando os cidadãos não tinham segurança nem garantia, e se viam encarcerados sem qualquer fundamento. Como advogado, me sinto estarrecido, pois vejo abusos, sobretudo no que diz respeito à liberdade de cidadãos, sendo que princípios constitucionais são atropelados em nome de vaidade e investigações policiais açodadas, precipitadas e inseguras, colhidas à revelia. A credibilidade da Justiça está abalada. Quando o cidadão é preso injusta, ilegal e inocentemente, tremem as bases da democracia. Remonta-se aos tempos da ditadura. A comunidade exige respostas. No entanto, não é conivente com fatos que geram maior insegurança, sobretudo quando situações deste gênero afetam famílias, cidadãos com representatividade, e que não guardam nenhuma relação com os fatos em apuração.”Dionísio desabafa‘sem medo de morrer’“Sinceramente, não tenho medo de morrer em São Francisco, porque todos são ordeiros, mas temo que cidadãos honestos e trabalhadores, até mesmo eu, continuem sendo presos, baseado apenas em boatarias, fofocas e provas engendradas. Há que se fazer, primeiro, um exame sobre a credibilidade de pessoas que aparecem do nada, dizendo-se portadores de notícias repassadas por mortos. No entanto, o tempo revelará os verdadeiros culpados. Temos que nos cercar de garantias, para não sermos vítimas de um sistema que passou a acreditar em noticias do além.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *