Desde que o Expresso chegou, muita coisa mudou! 02/07/10

O empresário Aldacir José Callegaro foi convidado pelo Expresso para escrever sobre as principais transformações que ocorreram no setor comercial de Santiago desde a chegada do jornal Expresso, há 17 anos. Confira:“Quando o jornal Expresso chegou a Santiago, nosso comércio era pacato e ainda conservador. O consumidor buscava muito produtos e serviços fora de Santiago. Tínhamos carência de mão-de-obra nas diferentes atividades e a qualificação profissional era pequena. Faltavam especialistas na área da saúde, não havia técnicos em serviços e assim era nosso dia-a-dia. Aos poucos, tudo foi mudando e acontecendo coisas importantes. Nos anos 90, a inflação era alta, os preços mudavam a cada dia e salve-se quem puder. Com as mudanças na economia, vem a profissionalização e qualificação nas diversas áreas. Assim, nasceu um novo ciclo; os competentes sobrevivem, os demais, morrem. Muitas empresas tiveram seu fim, outras renasceram das cinzas e muitas engordaram ainda mais. Época do celular alugadoTambém foi nessa época que a URI começou a contribuir, colocando profissionais no mercado de trabalho. Santiago passa a crescer em tudo, principalmente no setor de serviços, pois surgem necessidades diferentes como, por exemplo, moradias, transportes, alimentação, vestuário. Na carona, o comércio se torna muito forte e competitivo, com um grande grau de profissionalismo, tornando assim um pólo regional de negócios em nossa cidade. Tudo isso aconteceu em pouco mais de uma década, e os leitores do Expresso puderam acompanhar todas essas transformações. Para quem duvida que essas mudanças existiram, lembro que neste período teve imobiliária em Santiago que ganhou muito dinheiro alugando telefone celular. Isso aconteceria hoje, quando todo mundo tem ao menos um aparelho?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *