Novas leis ambientais: empresas terão que se adequar – 11/06/10

O Expresso no Ar ouviu pessoas entendidas das questões ambientais; o secretário de Meio Ambiente, Gildo Fortes, e João Pedro Perufo, da Ong Nascentes. Ambos chamaram a atenção para a preservação de nascentes e rios, árvores, observando que o homem é especialista em sujar, poluir, destruir tudo a sua volta. O secretário ainda prestou contas do intenso trabalho de sua secretaria.Maior alegriaDesde que foi instalada a secretaria de meio ambiente, minha maior alegria é ver mais de 20 famílias vivendo do que arrecadam no lixo. Hoje elas tiram de 900 a mil reais no serviço de reciclagem, festeja.Novas medidasGildo Fortes frisou que muitas coisas irão mudar até o final do ano. As empresas terão que ter licenciamento ambiental, se adequando à lei. Uma das normas prevê que elas devem receber de volta os resíduos sólidos: pilhas, baterias, lâmpadas, TV, computador enfim, tudo o que elas vendem e que cause algum impacto ambiental. Já as obras próximas a rios, córregos terão que obedecer um distanciamento de 30 a 50 metros, pois esse é um dos sérios problemas ambientais de Santiago.Levou multa por cortar ipêsGildo também denunciou que é um crime o que estão fazendo com as árvores, podando mal ou até cortando. Cada poda ou corte precisa de licença da secretaria. Isso demora uns dois dias, pois não é coisa urgente. Mas o pessoal quer rapidez e, aí, acaba agindo por conta. Mas atenção: isso gera multa, como foi o caso de uma professora do bairro Riachuelo que pagou 900 reais porque podou três ipês. A desculpa é que as árvores sujavam a calçada, denuncia Gildo.Cidade Ativa perde seu objetivo Outro alerta do secretário é de que o programa Cidade Ativa, criado para prestar serviço de limpeza e reestruturação em geral nos bairros, está servindo mais para carregar galhos e árvores. O pessoal vê que tem iluminação, tem calçamento e não sabe o que pedir; então pede para cortar as árvores.Especialista em sujar O ambientalista João Pedro Peruffo contou que dezenas de pessoas passam dias juntando lixo em beiras de sanga e fez um alerta: Vivermos em meio a várias nascentes, sangas e rios, coisas que a Europa daria bilhões para ter. E o que fizemos? Pegamos a água limpa jogamos tudo quanto é sujeira nela e largamos de volta nos rios. Ainda não contentes, jogamos mais sujeira: plástico, óleo de cozinha, esgoto, tudo o que não presta, desabafou Peruffo, lembrando ainda que a pesca do dourado é crime. A multa é de 5 mil reais por exemplar, não interessa o tamanho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *