Operação bafômetro dividiu as opiniões – 11/11/11

Na noite de sexta-feira a Brigada fez uma megaoperação no centro de Santiago e não deixou ninguém passar sem fazer o teste do bafômetro. Quase 500 veículos foram abordados e vários motoristas levaram multa de mil reais e foram parar na delegacia. O site Nova Pauta publicou a notícia e recebeu comentários dividindo opiniões, veja a seguir:Qual a explicação?“Santiago já não tem muitas opções de balada e agora cada vez que tem uma festa, há megaoperação. Sei que o ideal é que todos ajam corretamente, mas deixo a pergunta: qual a explicação para essas abordagens? Altos índices de acidentes à noite? E neste mesmo posto, quando há brigas generalizadas, a polícia não aparece. Ela está mais interessada em gerar lucro ao Estado. Claro, isso é opinião de um leigo jovem numa cidade para aposentados.”A BM e o Barbará“O Barbará terminou com o Carnaval e agora querem terminar com todos os outros eventos. Tem gente querendo é mídia. Falando nisso, todo este aparato no Esso, e o resto da cidade desguarnecida? E os arrombamentos correndo frouxo. Onde anda o policiamento ostensivo e preventivo?”Só pra quem deve“Vê-se que apenas 6% dos 450 foram multados e alguns até ganharam 10 reais para levar o carro de quem não podia. Lembrem-se: a lei veio para punir os maus, quem estava correto, até se divertiu. Quanto à cidade desguarnecida, creio que não é pela falta da polícia e sim pelas leis que beneficiam os marginais. Ontem inclusive um conhecido criminoso que devia ficar em casa por medida judicial, andava desfilando. A polícia o devolveu a seu belo “lar” – a cadeia. 45 minutos na fila“Parabéns! Enquanto fazem essas grandes operações que levam a madrugada inteira, a Câmara é arrombada no nariz de todos. Acho que as prioridades devem ser revistas. Nesta madrugada, fiquei 45min parado no carro, esperando minha vez de soprar o bafômetro. Não podem selecionar os motoristas que teriam necessidade de fazer o teste? Azar foi o meu que não bebo e pago pelos outros.”Parabéns à Brigada“Louvável a atitude da Brigada, fazendo com que todos possam se divertir. Quanto ao Esso, depende do dono ter um pouco de senso de responsabilidade e manter a ordem. Não é papel da Brigada acabar com o ponto de junção que já se tornou corriqueiro. Isso traz lucro ao proprietário. Acabando o ponto, acaba a desordem. Parabéns, Brigada e promotor Barbará pela ordem e bem-estar do santiaguense”. (leitora de São Borja).Marginais fazem a festa“Eu fui pegar minha filha às duas da manhã que chegava de excursão do Medianeira. Fiquei uma hora e meia no trânsito por causa dessa ‘operação’. Se não existe recurso material, não deve haver “operações” desse tipo. Além disso, temos que aguentar a arrogância de alguns brigadianos. Enquanto a Brigada preocupa-se em prender em flagrante os de bem, os marginais faziam a festa em outras partes”.Bebi todas“Só queria fazer uma pergunta aos da operação: qual a intenção de vocês? Acabar com a farra no Esso? Nunca vão conseguir! Ninguém vai mais cair nas operações. Todo mundo está prevenido, como por exemplo, eu. Deixei o carro a duas quadras do Esso nesse dia, bebi todas e fui embora bem feliz sem ninguém me incomodar.”Babá de borracho“Não sei como já não morreu gente no Esso. É horrível a polícia ter que ficar lá, cuidando dos borrachos que dirigem. Ao pai que foi buscar a filha, deveria ficar feliz. Ali, talvez a polícia tenha pego alguém que poderia tirar a vida dela no trânsito. E o cara de Jaguari que morreu na 287 estava sem carteira. A polícia tinha recolhido. Se fosse consciênte, estaria vivo.”Cidadão ou bandido?“Bandido é quem comete crime; Cidadão de bem faz o contrário; Pela lei, dirigir alcoolizado é crime. Então: quem são os cidadãos de bem? Sou policial e preferia não estar lá cuidando dos beberrões como se fosse babá! Caso não fosse por esses “cidadãos”, eu poderia estar prendendo traficantes e ladrões. A prioridade do policial é a vida e a integridade e, segundo plano, o lado material.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *