Quanto melhor, mais mortal 31/12/08

Por estar boa, a BR 287 registrou 77 acidentes em 2008 – Depois de três anos com poucos acidentes fatais, a BR 287 voltou a matar em 2008. Até 17 de dezembro foram 78 acidentes e seis mortes, número igual ao de 2002, quando a estrada ainda estava em boas condições. Conforme o patrulheiro Paulo Müller, comandante do posto da Polícia Rodoviária Federal de Santiago, a maioria dos acidentes ocorre por imperícia e excesso de velocidade. Um Levantamento apontou que mais de 80 mil veículos cruzam pela rodovia mensalmente no trecho que corta Santiago. Destes, cerca de 140 acabam multados. A seguir, Müller fala sobre a rodovia, acidentes, trechos críticos e muito mais.Quantos km estão sob responsabilidade de Santiago e quantos patrulheiros atuam?São 123 km da BR 287 entre São Vicente e Serra do Iguariaçá – divisa com São Borja. Temos 14 patrulheiros e duas viaturas. Qual a maior deficiência?Temos um bom quadro de policiais e viaturas em condições. A maior deficiência é no setor de informações. Trabalhamos sem departamento de investigação. E os acidentes em 2008? Qual o trecho mais crítico?Até 17 de dezembro foram 73 acidentes e seis mortes: uma próximo ao Castelo Motel; duas em Jaguari (ponte); outra próximo à ponte de Ernesto Alves (quando morreu o dono da sorveteria Napoli); e, por último, uma bossoroquense no trevo com a RS 168. Os trechos mais perigosos: o que passa por Santiago e entre Jaguari e São Vicente.Quantos acidentes e mortes de 2000 até hoje? Foram 609 acidentes e 24 mortes. O histórico da rodovia é: Ano 2000 – 75 acidentes e quatro mortes; 2001 – 83 acidentes e duas mortes; 2002 – 87 acidentes e seis mortes; 2003 – 67 acidentes e uma morte; 2004 – 61 acidentes e duas mortes; 2005 – 49 acidentes e nenhuma morte; 2006 – 46 acidentes e uma morte; 2007 – 68 acidentes e duas mortes. Qual a infração que mais acontece e quais as desculpas?A mais comuns são as ultrapassagens proibidas (289 infrações). As outras são: falta de cinto de segurança (146 multas), falta de habilitação (69) e veículos não licenciados (74). Eles costumam alegar pressa ou esquecimento. E sobre a famosa Lei Seca, houve flagrante?Dá pra constatar que os motoristas estão mais conscientes. Quando saem para alguma festa, geralmente quem vai para dirigir, não bebe. Mesmo assim, 19 foram pegos embriagados.E contrabando, por que levar os infratores a São Borja? Quanto a polícia gasta nesse trabalho?Já questionamos a chefia, mas não há outra maneira, pois é lá que fica a Delegacia da Polícia Federal. Em cada deslocamento se perde entre 5 e 6 horas e 2 ou 3 policiais. Além disso, há despesa com combustível e desgaste da viatura. Ainda há construções irregulares na faixa de domínio?Continuam existindo. Flagramos várias próximas a Santiago e Jaguari, além de cercas que foram mudadas irregularmente. Já comunicamos ao DNIT, para tomar as medidas. E a reconstrução da BR, como andam as obras?O DNIT está refazendo todo o trecho entre São Vicente e São Borja. Infelizmente isso vai aumentar o número de acidentes. Quando a estrada estava destruída, praticamente não havia acidentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *