A história da cirurgia (I)

A história da cirurgia (I)

(Arlindo Disconzi)
A palavra cirurgia vem do latim; “chirus, mão e erg, trabalho”. Seria então um trabalho manual com a finalidade de curar e feito no corpo humano. Hoje se fala em procedimento cirúrgico no qual o médico (cirurgião) realiza um ato com fins de cura. Recentemente, os atos cirúrgicos não são na maioria, não mais de incisões de 10, 20 ou 30 centímetros. Hoje são feitos com dois pequenos orifícios onde é introduzido canos com vídeo para realizar o ato cirúrgico. Tudo por vídeo.

Uma equipe cirúrgica é constituída do cirurgião chefe, um ou mais cirurgiões auxiliares, anestesista, enfermeira, instrumentadora e o enfermeiro circulante da sala.

Cirurgia é ciência e arte (foi a redação do meu vestibular). Como ciência está continuamente em renovação. Arte, exige do cirurgião uma habilidade manual contínua.

Em épocas passadas, a cirurgia era o último recurso, pois não se conhecia a existência das bactérias e os pacientes. Quase sempre morriam de infecções (morriam da cura) pois nada era esterilizado.

A descoberta do microscópio facilitou o progresso da cirurgia. Hoje tudo é esterilizado a 180 graus ou mais e o cirurgião lava as mãos de cinco a dez minutos e coloca luvas esterilizadas, coisa que antes não acontecia.