A influência da TV (II)

A influência da TV (II)

(Arlindo Disconzi)
Segundo o IBGE, 14,6% dos brasileiros vivem sozinhos e têm a TV como “companheira” para aplacar o isolamento. Uma pessoa que passa três horas vendo TV por dia, aos 75 anos, terá passado nove anos de sua vida assistindo TV. Quantas coisas ela poderia fazer dentro desses nove anos?

A TV é uma fábrica de ídolos e a própria TV tem sido ídolo na vida de muitos que moram sozinhos. 90% dos filmes são “enlatados”, ou seja, filmes importados e que estimulam a violência, o que atinge em cheio os adolescentes em fase de formação.

Uma pesquisa diz que um adolescente aos 16 anos e que vê TV todos dias, já assistiu 11 mil crimes, além de assaltos estupros, espancamento e outros tipos de violência.

Há canais de TV que só divulgam violência, tanto nos “enlatados” como no noticiário diário. Por que coisas boas não são divulgados? Será que elas não acontecem ou não dá IBOP, ou por que ninguém assiste? Bem, aí também somos coniventes.

Infelizmente para aumentar o IBOP vale cenas de sexo e violência.