Como entender o voo das aves

Como entender o voo das aves

(Arlindo Disconzi)
O voo das aves é um fenômeno incrível do reino animal e que, de tanto ver, não nos damos conta. As asas são curvas e inclinadas para frente e, ao baixar (bater das asas), ela se “apoia” no ar e a pressão aumenta de baixo para cima, enquanto diminui a pressão de cima da asa. Então, a ave se eleva e vai para frente. É o decolar das aves. E continuando a bater as asas, consegue o voo.

A leve inclinação das asas permite subir no alçar o voo. Se fossem retas, só correria e não decolaria. Então, as asas são o propulsor que faz o papel de motor para o voo.

Comparando ao avião, como ele não bate as asas, tem que correr antes de decolar, porque suas asas são fixas.

Há dois tipos principais de voo: o batido, quando as asas não param de bater e o planado, como o dos corvos, de cuja ideia originou o planador. As aves usam a cauda como leme no voo e como freio ao pousar.
Tudo é movido pelo músculo peitoral que é dez vezes mais potente do que o músculo humano em igual volume. Também influi a leveza do corpo, pois seus ossos são porosos com sacos aéreos. A ave também não tem bexiga, que é para não aumentar o peso quando estiver cheia.

O homem copiou o radar dos morcegos e o avião e planador das aves.