Ouro negro: falando do petróleo

Publicado por em .

Reprodução.

(Arlindo Disconzi)
Ele já foi chamado de “ouro negro”, motivo de muitas guerras. A origem foi nos sedimentos animais e vegetais dos seres que compõe os mares, e que se decompuseram por ação de reações químicas, transformando-se em hidrocarbonetos.

Como se forma? Formaram-se camadas rochosas sobre eles, formando uma substância viscosa e preta, insolúvel à água. Depois tratado nas refinarias, deu origem à gasolina, óleo diesel, querosene, óleos lubrificantes, gás natural, nafta, vaselina, isopor, parafina, asfalto, benzina, éter, cosméticos, produtos de limpeza, tecidos (náilon e poliéster) pesticidas, plásticos etc.

Se o petróleo se forma nos fundos dos oceanos, como explicar as riquíssima jazidas de petróleo do Saara? É há milhares de anos, esse local também foi oceano. A água se evaporou e o petróleo das profundezas ficou.

No Egito, o petróleo estava na superfície da terra, sendo usado nos embalsamentos de mortos ilustres e como “cimento” nas pirâmides.

Primeiros poços – No livro da Bíblia (Êxodo) consta que Moisés foi colocado num cesto de junco e vedado com betume e asfalto. Um rico americano, baseado nesse trecho, foi pesquisar e, assim, surgiu uma companhia petrolífera americana no Egito que existe até hoje.

Criação da Petrobras – No Brasil o primeiro poço foi perfurado em 1930, sem sucesso, mas em 1938 em outro poço o petróleo jorrou. Em 1953, Getúlio Vargas cria a Petrobras. O escritor Monteiro Lobato foi o grande incentivador do nosso petróleo. Em 1968, a Petrobras começou as pesquisas em águas mais profundas e, em 2005, iniciou-se a pesquisa no pré-sal. O petróleo é fonte de energia mas seu consumo está sendo acusado como o principal responsável pelo efeito estufa. As reservas mundiais de petróleo devem durar apenas mais 40 anos.