Para melhorar sua memória

Para melhorar sua memória

(Arlindo Disconzi)
Não há remédio que melhore a memória, nem o Ginko Biloba foi convincente. Nenhum remédio melhora o rendimento escolar, universitário ou no trabalho. Circula entre alguns universitários, em época de exames, uma substância que traz mais efeitos colaterais do que benefícios. A leitura sim, este é de fato o melhor exercício para a memória, chegando a evitar em 38% a doença de Alzheimer. O problema é que se está lendo cada vez menos. O brasileiro lê, em média, quatro livros por ano, os argentinos, 12.
Outra prática para memorizar é que o cérebro grava mais o que vê do que aquilo que ouve. Também é importante estar concentrado na hora de memorizar algo. Por isso que é difícil lembrar, por exemplo, um endereço ou telefone quando estamos dirigindo. A concentração está no trânsito.
É bom associar o que se quer memorizar com imagens, como dissemos acima, o cérebro grava mais com a visão.

Ajudam na memória: Dormir de sete a oito horas por noite em quarto totalmente escurecido; no final do dia recordar as atividades que fez durante o dia; tomar de três a cinco cafezinhos ao dia (eles mantêm o cérebro alerta); evitar estresse e ansiedades; praticar exercícios físicos que melhoram a circulação do cérebro; comer alimentos que contenham ômega 3 (peixe, linhaça, tomate, uva, morango, chá verde, ovo (colina), duas castanhas de caju e duas nozes pecam ao dia etc).

Exercício para o cérebro: palavras cruzadas, “quebra cabeças” e outras atividades que forçam a memória