Para onde vai o 13º dos santiaguenses?

(por Denilson Cortes)

O IBGE aponta que 9.300 santiaguenses trabalham, e ganham salário médio de 2,2 mínimos, o que dá um rendimento mensal de 2.061 reais. Em dezembro, esse valor dobra, com o pagamento do 13º salário, injetando mais 19 milhões de reais em circulação no município. Foi sobre essa renda extra que pesquisei nos últimos dias, para saber como o santiaguense irá gastar essa grana. Usei como fonte informações do próprio IBGE, Fundação Getúlio Vargas e outras instituições, me embasando em pesquisas semelhantes feitas em outros municípios de todo o Brasil.

Do total de 19 milhões, o santiaguense deverá gastar 25% (quatro milhões e 750 mil) pagando contas em atraso, o que não é novidade. Mas também irá poupar 23% (quatro milhões e 370 mil), o que é uma excelente ideia. Os presentes de Natal consumirão pouco mais de dois milhões (12%), valor semelhante aos 11% a serem gastos para pagamento de impostos (IPTU, IPVA ou matrículas escolares). O restante, 8% (um milhão e 500 mil), será aplicado em viagens de férias. Lembrando que esses dados não têm finalidade estatísticas, mas o resultado não deve ficar muito longe do apurado.