Ser mulher custa caro

(Sandra Siqueira)
Você sabia que produtos e serviços voltados ao público feminino são sempre mais caros do que os similares masculinos? A diferença entre eles é conhecida como “taxa rosa”. Segundo pesquisa de comportamento do consumidor, as mulheres desembolsam, em média, 12,3% a mais por produtos que podem ser idênticos aos dos homens.

Especificamente em alguns serviços, a diferença é ainda maior. Corte, escova, hidratação, depilação e manicure, por exemplo, pesam 27% a mais para elas. Quando falamos em vestuário, peças básicas como camisetas e calças jeans, a diferença fica em 17%. Claro, o mercado obedece a uma tendência de consumo e as mulheres sabem gastar.

O problema é como conviver com o eterno paradoxo: ganhar menos e pagar mais (com salários 22% mais baixos para o desempenho da mesma função). A diferença salarial entre homens e mulheres registrada no Brasil é uma das maiores do mundo, conforme o IBGE. Essa diferença aumenta, chegando a 50%, quando se refere a cargos executivos.