Trovas do Atanásio

Publicado por em .

(Tadeu Martins)
Eu ganhei do meu padrinho
Uma xerenga com bainha,
Que eu usava na cintura
Atravessada na espinha,
Me sentia com 18
Aos 8 anos que eu tinha.

Com ela aprendi ser gente
Respeitar, ser respeitado,
Faca é extenção do braço
Com fio pontudo e afiado,
Porque faca pra um gaúcho
É um símbolo sagrado.

Utensilio de serviço
Do gaúcho ao arataca,
Tanto no cano da bota
Ou enfiada na guaiaca,
Cabo de chifre, madeira,
De prata, osso ou alpaca.

Ela faz parte da pilcha
Do campeiro , do colono,
Pode ser qualquer faquinha
Quem a usa tem entono,
– Tem coisa mais exibida
Que o fio da faca do dono.