Democracia e notícias falsas

(Valdo Barcelos)
As notícias falsas ou Fake News, se tornaram centrais no debate político no Brasil e no mundo. As últimas eleições presidenciais nos EUA foram o estopim dessa enxurrada de boatos e mentiras sobre candidatos e partidos. É tamanha a presença das ditas notícias falsas nas mídias que a própria democracia pode ser colocada em perigo. Defendo que refletirmos sobre a democracia não é algo do campo do mero exercício intelectual. Em momentos de crise, refletirmos sobre democracia significa refletirmos sobre o que poderá acontecer no futuro para os nossos filhos(as), bem como para todos os jovens que farão desse país o que ele virá a ser no futuro.

Se queremos que as crianças de hoje sejam adultos adeptos de um viver democrático há que criar espaços de convivência na aceitação mútua, no respeito a si mesmos, na sinceridade e, especialmente, na honestidade. O respeito ao outro só se dará a partir do respeito por si próprio; só acontecerá a honestidade com a sociedade se formos honestos com nós mesmos; só seremos capazes de aceitar o outro se aprendermos a aceitar nossas próprias limitações e até mesmo incoerências.

Penso ser apropriado nos perguntarmos sinceramente: como estamos nos comportando em relação ao país em que vivemos? Como nos relacionamos com nossos colegas de trabalho? Com nossos familiares? Que tipo de relações optamos por estabelecer em nosso viver?

A democracia é um modo de conviver em busca permanente de harmonia de todos. Mais que isso, a democracia tomada como a construção de uma obra de arte em permanente aprimoramento. Uma obra de arte resultante de uma construção colaborativa e co-operativa. Essa obra de arte chamada democracia, não ficará exposta em uma galeria ou museu. Essa obra de arte terá como galeria todos os lugares onde as pessoas, com espírito democrático, se fizerem presentes por meio do seu viver democrático. Para que esse viver democrático, realmente, aconteça, precisa ser desejado e buscado sincera e honestamente.