Lula é condenado por unanimidade

Os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região mantiveram a condenação e ampliaram a pena de prisão (de 9 anos e seis meses para mais de 12 anos) do ex-presidente Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex em Guarujá. Como o placar foi unânime, o único recurso para a defesa são os chamados embargos de declaração, que não têm poder de reverter a condenação, mas somente esclarecer ambiguidades, pontos obscuros, contradições ou omissões. A defesa, no entanto, ainda poderá tentar inocentar Lula nas instâncias superiores (STJ e STF). Mas, após o julgamento dos embargos no TRF, poderá ser expedida ordem de execução de sentença. Nesse caso, ao recorrer ao STJ e depois ao STF, Lula já poderá estar preso.

Impedido de concorrer
Ministros do Tribunal Superior Eleitoral consideram inevitável a cassação do provável registro de candidatura de Lula. Em entrevista ao Globo News, dois deles afirmaram que a Lei da Ficha Limpa deixa claro que um candidato condenado por um colegiado por crimes como corrupção passiva e lavagem de dinheiro fica automaticamente inelegível. “É um prato que já está feito. Praticamente, vamos nos reunir apenas para uma formalização.”