Um Brasil sem corrupção é possível?

Um Brasil sem corrupção é possível?

(Arlete Gudolle)
Para entender a corrupção no país, deve-se retroceder à época do descobrimento, lembrando que o Brasil originou-se de brancos, negros e índios. O branco, oriundo da escória renegada de Portugal à época da colonização e o que veio para povoar a nova terra, constituía-se de degredados, ladrões, assassinos e prostitutas. O negro, tornado escravo à força, era visto como uma raça inferior, para sobreviver, assimilou a conduta irregular dos brancos. Já o índio, por ser o mais indefeso, perdeu a identidade e se viu corrompido pelos outros dois. Ao se misturarem as três raças, surgiu um povo propenso a tirar proveito de tudo e essa miscigenação, acrescida de maus hábitos legados por imigrantes europeus, deixou marcas indeléveis na cultura brasileira, já contaminada com atos irregulares praticados desde o nascimento.

Para agravar isso, maus exemplos proliferam, sem esquecer pessoas que procuram levar vantagem em tudo, que se vangloriam de usar o famoso jeitinho e praticam o toma lá da cá, tornando o povo vulnerável ao assédio à corrupção, desonestidade e à alienação. Por ter memória fraca, olvida os erros cometidos, principalmente por políticos. Haja vista que muitos deles, mesmo sendo condenados por ilegalidades várias, elegem-se com facilidade. Para se combater essa chaga, urge investir nas crianças, oferecendo-lhes educação centrada em bons princípios, valores e exemplos de dignidade, honra, amor à pátria e à família, além de usar o poder do voto para fazer aflorar um novo país.