Prisão preventiva negada – 15/05/09

O promotor de Justiça Luís Antônio Barbará pediu a prisão preventiva de C. M. P., acusado de crime contra a liberdade sexual. Porém, foi indeferido pela juíza Cleusa Maria Ludwig. De acordo com Miguel Garaialdi, advogado de Cleiton, não existe elementos que justificassem a prisão. “Tanto que o acusado apresentou contas telefônicas na qual constam várias ligações a cobrar para seu telefone feitas pela suposta vítima. No dia da ocorrência, ela própria usou telefone público e ainda fugiu da escola pela porta dos fundos para encontrar-se com ele”, argumenta Garaialdi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *