Reféns das abelhas – 25/09/09

Mauricio Crivellaro, sua esposa Ângela e filhas convivem com um enxame de abelhas em sua residência na rua Júlio de Castilhos já há dois anos. “Tem um depósito de embalagens de mel próximo a minha casa, e isso tem tirado o nosso sossego. Minha esposa foi picada e é alérgica; minha filha teve que mudar de quarto, também tem um neto que mora com nós”. “Procuramos o proprietário do depósito para resolver a situação, já registrei uma ocorrência na delegacia, mas até agora nada foi feito; Minha esposa está praticamente refém das abelhas e se elas resolverem invadir, temos que abandonar a casa”, avisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *